Scientia potentia est

Conhecimento é poder.

Francis Bacon

Mestrado em Direito: E-book GRÁTIS ensina estratégias que aumentam suas chances de aprovação no processo seletivo

Inscreva-se, receba e-mails com todas as nossas novidades e um e-book com estratégias incríveis para sua aprovação no mestrado.

NOVIDADES ACADÊMICAS

Faça parte de nossa comunidade. Receba em seu e-mail nossos artigos e vídeos, com estratégias úteis para aumentar sua produtividade, desenvolver competências acadêmicas e auxiliar você a alcançar seus objetivos. 

© 2018 Todos os direitos reservados.

NOVIDADES ACADÊMICAS

Faça parte de nossa comunidade. Receba em seu e-mail nossos artigos e vídeos, com estratégias úteis para aumentar sua produtividade, desenvolver competências acadêmicas e auxiliar você a alcançar seus objetivos. 

© 2018 Todos os direitos reservados.

produtividade na escrita

5 estratégias para ser um escritor mais produtivo

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp

Escrever é um parto. Pode parecer uma tarefa simples sentar a bunda na cadeira e escrever por duas ou três horas seguidas, mas não é. Passam milhares de coisas na cabeça. Olhar aquela notificação no celular. Ver o Facebook. Conferir aquele livro importante que contem uma referência importantíssima para sua pesquisa. Ligar pra mãe. Ver o jornal. Conferir as últimas publicações sobre seu tema de estudo. Tudo parece ser mais interessante do que aquela “folha de papel” virtual em branco que está a sua frente, com o cursor piscando intensamente.

Você digita uma frase. Não parece bom, você a apaga. Escreve outra frase melhor. E outra. E outra. Agora vai! Um parágrafo, dois parágrafos. Em uma hora? Ok, pegou o ritmo agora. E empaca de novo.

Você é assim? Não se preocupe: você não está sozinho. Eu também sou assim e tenho certeza de que a maior parte dos escritores passa por isso ou algo parecido. A boa notícia é que não precisa ser assim. Existem boas estratégias que, bem utilizadas, ajudam em muito a superar o bloqueio na escrita e a tornar a redação acadêmica muito mais produtiva.

 

#1 Desenvolva uma rotina de escrita

O hábito faz o monge, diz o ditado. Não tem jeito. Uma rotina bem desenvolvida pode fazer verdadeiros milagres para a produtividade. Acordar na mesma hora, separar duas ou três horas todo santo dia (tá bom, pode pular o domingão!) para escrever e seguir fielmente essa rotina ajuda bastante a se tornar mais produtivo.

Uma rotina faz com que seu cérebro se acostume com o tipo de trabalho mental que deverá ser feito em determinado momento do dia. Acostumá-lo a uma rotina acadêmica deixará suas faculdades cognitivas preparadas para os desafios da escrita acadêmica.

Faz parte da rotina, também, preparar um ambiente de trabalho otimizado para o estudo. Por exemplo, embora eu mesmo não seja um exemplo de organização, adoro escutar música clássica enquanto escrevo. Alguns estudos mostram que essa prática ajuda o cérebro a funcionar em um ritmo mais propício ao aprendizado e ao estudo e, possibilitando maior concentração na tarefa.

No fundo, não precisa ser música clássica; qualquer música instrumental calma serviria para esse fim. Desenvolver uma rotina também facilita evitar determinados incômodos. Alerte sua família (ou mesmo amigos mais próximos) sobre sua rotina e peça para que ninguém o incomode. Com o tempo, e sabendo que naquele momento você costuma escrever, provavelmente as interrupções serão menores.

técnica pomodoro ajuda você a ser um escritor mais produtivo

#2 Use a técnica pomodoro para trabalhar sem deixar de descansar um pouco

Nosso cérebro dificilmente consegue se concentrar por muito tempo em uma única tarefa. No mundo tecnológico onde vivemos, existem inúmeros “atrativos” para nossa atenção – WhatsApp, Facebook, Netflix, Twitter. E muitas pessoas ficam agoniadas se não estiverem atualizadas com as últimas notícias do momento. Se ficarem concentradas por horas a fio, provavelmente sua atenção estará tão cansada com o trabalho que se perderá mais tempo lutando contra a vontade de dar uma conferida no celular do que efetivamente trabalhando.

A estratégia pomodoro de administração do tempo proporciona um justo equilíbrio entre a necessidade de escrever produtivamente e a “agonia” de descansar um pouco e conferir tudo o que se deseja.

Desenvolvida pelo italiano Francesco Cirillo na década de 1980, a técnica pomodoro é bem simples. O nome “pomodoro” tem seu origem na palavra italiana para “tomate”, em referência a um cronômetro utilizado na gastronomia. A técnica é baseada na ideia de que a mente humana pode se tornar mais produtiva se relaxar um pouco em pausas curtas após  um período de trabalho.

A implementação da técnica é bem simples. Você divide o tempo em quatro partes iguais, sendo que três dessas partes serão dedicadas ao trabalho e uma delas, ao descanso. Por exemplo, em um pomodoro de 20 minutos, serão 15 minutos de trabalho e 5 minutos de descanso. Durante o período de trabalho, desligue as notificações de aplicativos.

Simples, não? Pra facilitar as coisas, existem vários aplicativos disponíveis para celular e computador, nos quais é possível estipular pomodoros com cronômetros diferentes para cada tipo de tarefa a ser realizada.

 

#3 Divida suas tarefas em partes menores

Trabalhar em objetivos mais simples e menores é sempre mais fácil do que tentar trabalhar em um projeto enorme como um todo. Imagine sentar para escrever uma “dissertação de mestrado” ou uma “tese de doutorado”. O peso é enorme!! Bate um desespero enorme pensar que você está trabalhando em algo tão gigantesco. Afinal, você não se sentou para escrever um pouco, mas para escrever 200, 300 páginas. É estressante e improdutivo.

Por isso, é mais recomendável dividir o trabalho em partes menores. Uma monografia/dissertação/tese é divisível em capítulos. Cada capítulo, por sua vez, é dividido em seções, que por sua vez são divididas em subseções. É bem menos desafiador sentar para escrever uma subseção do que um capítulo. E é bem mais tranquilo redigir um pedaço da subseção do que uma subseção inteira.

Por isso, “divida para conquistar”. Antes de se sentar para trabalhar em seu texto, planeje. Escreva num arquivo de texto ou em uma planilha todas as atividades que precisará executar para redigir seu texto acadêmico. E planeje o trabalho de tal modo que, a cada sessão de trabalho, você possa se concentrar em apenas uma única atividade.

Dividir as tarefas em partes menores também é uma estratégia interessante por outro motivo. Se você tiver como meta escrever a dissertação de mestrado inteira, somente estará satisfeito com seu progresso quando, de fato, terminar de redigir o trabalho. E cada dia será mais difícil do que o anterior, porque a sensação de progresso será ínfima. Você quer escrever 200 páginas e escreveu apenas meia página durante o dia. Parece pouco e essa sensação é estressante.

Mas, se você tiver como meta escrever um pedaço da subseção naquela tarde, poderá concluir aquela tarefa e riscar da sua planilha a atividade. A sensação de progresso é real. Se você atrasar, terá plena consciência do quanto está atrasado e do quanto precisa progredir nos dias seguintes para compensar. Desse modo, fica mais fácil mensurar suas atividades de maneira precisa, tornando-se possível corrigir o curso se necessário.

#4 Primeiro, o rascunho. Depois, a redação definitiva.

Outro equívoco muito comum é acreditar que a primeira versão de um texto será a definitiva. Esse pensamento é equivocado porque exige do autor, a um só tempo, duas habilidades simultâneas: a de transferir para o papel o conteúdo pretendido e a de revisar o texto, mantendo-o gramaticalmente correto e coerente com o restante de sua estrutura.

Para evitar esse erro, escreva primeiro o rascunho do texto. Escreva sem preocupações com a forma e mesmo com a correção gramatical. Apenas escreva. Seria criativo. Coloque no papel tudo o que passar por sua cabeça, da maneira que vier.

É certo que a primeira versão escrita será um texto pouco estruturado.  Mas concentre-se no aspecto positivo: o conteúdo do texto está pronto. Ou quase. É claro que você pode melhorá-lo, aprofundar um pedaço ou outro. Mas ao menos tem uma primeira versão para trabalhar melhor, revisá-la e aperfeiçoá-la até que a qualidade desejada seja alcançada.

Lembre-se: é sempre melhor ter um texto imperfeito esboçado no papel do que um texto perfeito na sua cabeça, mas não escrito.

#5 Brainstorming

Quando estiver difícil ter ideias para começar a escrever seu texto, separe meia hora para escrever possíveis questões a serem abordadas. De nada adianta começar a escrever desordenadamente.

Escreva as ideias centrais a serem abordadas e depois ligue-as entre si e com ideias secundárias. Pense em exemplos. Pense em como cada conceito estabelece relações com os demais. Em suma, trabalhe em um processo de brainstorming a fim de que a sua criatividade possa ter material para trabalhar e produzir posteriormente.

Redija, a mão-livre, a estrutura do texto. Não se preocupe tanto com a estrutura inicialmente, mas com o modo como as ideias se encadeiam. Depois, organize as ideias em uma estrutura mais hierárquica, separando os conceitos centrais daqueles que estão em segundo plano.

A partir desse esboço, você já terá um bom material para organizar seu texto em subseções e parágrafos, denotando os pontos principais a serem abordados.

#Bônus: Organize a literatura já estudada com um bom fichamento

Também é muito importante organizar com cuidado o material que você já estudou. Apesar de tomar tempo, você poderá economizar algumas horas, na hora de redigir seu texto, se tiver as referências organizadas.

Por isso, é importantíssimo que você efetue resenhas e fichamentos dos principais artigos e livros que já leu. Na hora de escrever, os fichamentos te auxiliarão a lembrar o conteúdo e assinalar as principais passagens do texto. Assim, você não precisará perder muito tempo relendo, ainda que rapidamente, passagens inteiras para se lembrar dos excertos a serem citados.

E você, tem alguma técnica para ser produtivo na escrita? Adoraríamos ler sua opinião!

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email
Share on whatsapp
fabio_portela

Fábio Portela
Mentor Acadêmico

Minha missão é dar suporte a bacharéis em Direito que desejam consolidar sua formação no meio acadêmico cursando o Mestrado e, mais tarde, o Doutorado.

Nossos últimos posts