Novo Programa Preparatório para o Mestrado em Direito

Novo Programa Preparatório para o Mestrado em Direito
como fazer mestrado

Como fazer seu mestrado

Cursar o mestrado é o passo natural para os portadores de um diploma de ensino superior. Em particular, é um requisito fundamental para quem deseja se tornar professor.

Afinal, ter um mestrado demonstra que você foi além em seu desenvolvimento acadêmico. Mostra que você tem conteúdo, experiência de pesquisa e capacidade intelectual.

Mas como fazer o mestrado? Quais os requisitos? Como escolher a instituição onde você vai estudar?

Nesse artigo, espero esclarecer esses e outros pontos de preocupação de potenciais mestrandos. Assim, é um texto para você que deseja prosseguir aprofundando os conhecimentos acadêmicos!

O que é um mestrado?

O Mestrado é um grau outorgado aos portadores de um diploma de ensino superior. Esse é o único requisito para cursar o mestrado, portanto.

A graduação e a especialização (pós-graduação lato sensu) têm como objetivo principal formar profissionais. O mestrado, por sua vez, enfatiza a formação de pesquisadores e professores universitários.

Há basicamente duas obrigações em um mestrado.

A primeira delas é concluir uma dissertação. Ela será o resultado de uma pesquisa desenvolvida ao longo dos dois anos de duração do curso.

A dissertação é mais complexa que o famoso trabalho de conclusão de curso (TCC) dos cursos de graduação. Além de delimitar bem o tema, a dissertação deve discutir extensivamente um problema de pesquisa. Por isso, não basta apenas apresentar os principais argumentos em torno de uma temática. É preciso ir além, se posicionando e apresentando o tema em todas as suas dimensões.

A segunda obrigação é concluir com sucesso os créditos das disciplinas cursadas. Na graduação, as aulas são usualmente expositivas. Elas são organizadas e planejadas para passar uma grande quantidade de conteúdo em pouco tempo.

No mestrado, exige-se maior participação dos estudantes. As aulas são estruturadas a partir de debates sobre textos mais profundos.

Nada de estudar apenas com base em manuais. No mestrado, você lerá textos mais densos e profundos na área de especialização escolhida. E os discutirá bastante com outros alunos e professores.

Além disso, o mestrado oferece inúmeras possibilidades de participação no universo acadêmico. Espere participar de muitos congressos e ministrar aulas e palestras.

A participação nesses eventos é importante. Será uma oportunidade de expor suas próprias ideias em um fórum qualificado e melhorar seu networking acadêmico. Ou seja, aproveite esses momentos habilmente e muitas portas serão abertas. Você poderá ter acesso a inúmeras oportunidades acadêmicas e profissionais.

Como escolher a instituição para cursar o mestrado?

A escolha da instituição é fundamental. E é uma decisão muito importante para sua própria trajetória pessoal.

Existem muitos programas de pós-graduação predatórios. Apesar de legalmente instituídos, outorgam títulos desprezados pelo mercado acadêmico.

Prefira, portanto, instituições bem avaliadas pela CAPES, agência governamental responsável pela regulação da pós-graduação no país. Os melhores programas têm nota superior a 6. Essa avaliação indica que o programa é bem conceituado e tem bom status internacional.

Além disso, cada programa tem linhas de pesquisa bem definidas. Antes de optar por uma instituição, leia atentamente quais as linhas de pesquisa disponíveis. Certifique-se de que seu projeto estará adequado a uma das linhas da instituição, ou suas chances de sucesso serão bastante reduzidas.

O mais importante é, antes de escolher a instituição, ser sincero consigo mesmo: o que você gostaria de pesquisar?

Muitas pessoas cometem o erro de escolher primeiro a instituição e apenas depois o seu tema de pesquisa. Com isso, frustram-se de não conseguirem ser selecionadas com o seu projeto de pesquisa.

Mas lembre-se: o aluno é quem deve se moldar à instituição, não o contrário!

Evidentemente, é sempre possível estruturar seu projeto de modo que ele seja compatível com a instituição. Assim, se o tema não é perfeitamente ajustado a uma linha de pesquisa, procure ajustar seu projeto a ela.

Uma maneira de fazer isso é procurar um ângulo adequado. Digamos que você esteja com um projeto de direito penal, mas a linha de pesquisa desejada se estrutura em torno de questões constitucionais. É possível procurar uma temática que alinhe os dois interesses. Por exemplo, você pode explorar alguma das garantias constitucionais do processo penal. Seja criativo!

Como fazer o mestrado? O processo seletivo

Como o número de vagas para mestrados é usualmente pequeno, espere enfrentar uma grande concorrência. A maioria dos programas de pós-graduação adota processos seletivos relativamente parecidos.

Embora variem pontualmente entre uma instituição e outra, os exames tendem a ter as seguintes fases: a) prova escrita; b) prova de idiomas; c) projeto de pesquisa; d) entrevista; e e) análise de currículo.

A prova escrita avalia conhecimentos específicos da área escolhida. Embora algumas instituições cobrem conteúdos mais gerais, a maioria cobra uma prova baseada em uma lista de artigos e livros.

Raramente as provas são objetivas. As instituições desejam avaliar não apenas o conteúdo, mas também a qualidade acadêmica do seu texto.

A prova de idiomas também é uma constante nos processos seletivos. A maioria os textos lidos ao longo do mestrado é redigido em língua estrangeira. Por isso, exige-se dos candidatos a capacidade mínima de se virar em pelo menos um idioma além do português.

Mas o ponto central do processo seletivo é o projeto de pesquisa.

Nele, você deve expressar  exatamente o que deseja pesquisar na universidade. No projeto, é preciso apresentar o tema de sua dissertação e o problema de pesquisa.

E, além disso, mostrar porque sua proposta é relevante e pertinente. Ele deve estar relacionado à linha de pesquisa da instituição.

Esse não é um exercício “gratuito”. O estudante deve ter uma forte motivação para fazer a pesquisa, além de ter alguma ideia do que quer descobrir. O projeto de pesquisa também deve ser de certa complexidade, demonstrando certo grau de maturidade acadêmica .

Outras duas etapas são a entrevista e a análise do currículo Lattes. Agrupei essas duas fases da avaliação porque usualmente estão intimamente relacionadas. 

Seu currículo deve demonstrar que você tem potencial como pesquisador e professor. A entrevista é a oportunidade de mostrar à instituição que você tem a capacidade necessária para realizar o projeto de pesquisa. É uma chance de mostrar suas habilidades e conhecimentos, assim como sua motivação para buscar o mestrado.

Por isso, na entrevista, a banca examinadora procurará esclarecer aspectos do seu currículo e do projeto de pesquisa.

A lógica das linhas de pesquisa

Cada programa de pós-graduação stricto sensu é dividido em linhas de pesquisa. Elas podem ser compreendidas como as áreas de pesquisa em torno das quais a instituição desenvolve suas atividades.

Por exemplo, a área de pesquisa poderia ser “direito e sociedade”, dividida nas seguintes linhas de pesquisa: direito penal, direito constitucional, direitos humanos etc.

As linhas de pesquisa são a estrutura que compõe um programa de pós-graduação.

Elas são definidas pelas áreas específicas de conhecimento em que o programa desenvolve suas atividades. Definem, também, o tipo de trabalho que se espera do estudante.

As linhas de pesquisa geralmente não são tão rígidas quanto podem parecer. Cada linha de pesquisa pode ser dividida em uma série de sub-áreas, ou mesmo em linhas menores de pesquisa.

Leia atentamente a descrição que o programa faz das linhas de pesquisa. Ela traz dicas importantes dos grandes temas investigados na instituição. Com esse conhecimento, você pode estruturar seu tema de pesquisa a partir dela e garantir a pertinência de seu projeto.

Como se preparar para as provas do mestrado

Preparar-se com antecedência é fundamental. Muitos estudantes são reprovados por deixarem para se preparar apenas após o edital. Como ele é publicado pouco antes dos exames, o tempo será insuficiente para ler todas as obras e escrever um projeto de qualidade.

Além disso, é importante saber gerenciar bem o seu tempo de estudo diário. Dedique ao menos duas horas por dia para a leitura e deixe seu projeto de pesquisa bem encaminhado ao menos um mês antes da publicação do edital.

Separe toda a literatura necessária para se preparar bem. Estude as provas antigas e os editais passados. Normalmente, os livros e artigos se repetem de um ano ao outro, com poucas alterações. 

Também deixe um tempo para aprimorar seu currículo. Escreva artigos, participe de congressos e outros eventos na instituição de seu interesse e faça cursos (online ou presenciais). Aos poucos, seu currículo se tornará imbatível!

A prova de idioma estrangeiro exige domínio intermediário da língua escolhida.

Por isso, se você não conhece qualquer outro idioma senão o português, é importantíssimo começar a se dedicar o mais rápido possível. Faça um curso em uma escola de idiomas ou contrate um professor particular para se sair bem. A prova não costuma ser difícil, mas exige do aluno uma compreensão bastante razoável do idioma escolhido.

Se você quer realmente ser aprovado no Mestrado, conheça o Método PENCER. Nele, ensino tudo o que você precisa saber para a aprovação!

Descubra como ser aprovado no mestrado em direito... mesmo que você não tenha experiência de pesquisa

Receba um e-book gratuito e tenha acesso a nosso melhor conteúdo.





Descubra como ser aprovado no mestrado em direito... mesmo que você não tenha experiência de pesquisa

Receba um e-book gratuito e tenha acesso a nosso melhor conteúdo.





Rolar para cima