Como se preparar para ser aprovado no mestrado em direito

Como se preparar para a seleção de mestrado em 2019?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

A preparação adequada ao sucesso no processo seletivo para o mestrado em direito é um grade desafio. Como há um longo tempo de espera entre um processo seletivo e outro, muitos candidatos deixam para se preparar para a seleção de mestrado em cima da hora, pouco antes de as inscrições serem abertas.  E esse pode ser um erro fatal.

O processo seletivo para o mestrado deve ser encarado com a seriedade de um concurso

Essa postura chega a ser curiosa. Com efeito, muitos candidatos a programas de mestrado em direito se prepararam por anos a fio para prestar concurso público nas mais diversas carreiras jurídicas. Dedicaram-se integralmente à realização do sonho profissional, mas ponderam ser suficiente apenas se dedicar ‘umas horinhas’ por algumas semanas antes da inscrição ao processo seletivo para o mestrado.

E essa postura pode ser fatal.

O processo seletivo para o mestrado em direito, especialmente para as melhores instituições de ensino do país, como UnB, USP, UFMG, UFSC, UFPE, entre outras, tem sido cada vez mais concorrido. Mais e mais pessoas têm percebido o valor do título de Mestre não apenas a partir de um prisma estritamente acadêmico, mas também para melhorar suas perspectivas profissionais. Faz sentido, uma vez que as exigências de um bom Mestrado levam o aluno a desenvolver habilidades de pesquisa e redação bastante úteis para a maioria das carreiras profissionais.  

Evite a tentação de se preparar às pressas

Com a concorrência, não basta escrever um ‘projetinho’ de pesquisa às pressas e apresentá-lo perante a banca examinadora. Os membros da banca terão preferência por candidatos que sabem efetivamente o que desejam pesquisar e já demonstram ter habilidade de pesquisa.  

A notícia ruim é que, assim como em um concurso público, é preciso começar a se preparar desde cedo. Ninguém é aprovado em um concurso se preparando em cima da hora, depois que o edital é publicado. E, cada vez mais, essa também é a realidade dos candidatos a programas de mestrado e doutorado. 


Mas também existe uma boa notícia: ainda são raros os candidatos que começam a se preparar desde cedo. Existe, portanto, uma boa possibilidade de aprovação para quem começa a se dedicar um pouco mais cedo. 

Uma questão fundamental para se preparar para a seleção de mestrado: o que você deseja pesquisar?

O ponto de partida para tudo o que diz respeito ao processo seletivo para o mestrado é sua pesquisa. O principal objetivo do mestrado é escrever sua dissertação, que é justamente o resultado de sua pesquisa. 

Definir o mais rapidamente possível qual é o seu tema e o problema de pesquisa é essencial. Elementos centrais de sua participação em um programa de mestrado são determinados a partir do tema. A escolha das universidades em que você tentará ingressar, por exemplo, é determinada pelo tema de pesquisa. Afinal, nem todas as instituições têm programas de pós-graduação em direito com linhas de pesquisa compatíveis com seu tema. Além disso, também é preciso investigar se, na faculdade, existe algum professor na faculdade que poderia ser seu orientador.

Definir o tema é central porque já possibilita excluir algumas universidades. Melhor do que isso, possibilita selecionar aquelas onde você tentará concorrer.

Ter uma postura estratégica é fundamental para sua aprovação

Além disso, também é importantíssimo ter uma postura estratégica em todo o processo.
Não tenha dúvida. Em um processo seletivo para o mestrado muito concorrido, a banca examinadora só precisa de uma desculpa para eliminar você. Não dê a ela essa desculpa, oras. 

Ter uma postura estratégica significa que você conhece profundamente seu “adversário” que é, no caso, a banca examinadora. Se a banca for divulgada antecipadamente, estude o currículo Lattes dos professores. Ao fazer isso, você passa a conhecer os temas com que os docentes costumam trabalhar, os autores que procuram citar e a abordagem teórica utilizada por eles. Busque encontrar elementos em comum entre os professores. Elabore um projeto que, no mínimo, invoque temas e autores próximos aos que eles trabalham.

Leia: como citar leis na pesquisa acadêmica

Se suas preocupações acadêmicas são diferentes daquelas usualmente pesquisadas pelos professores do curso, tente mostrar que seu tema dialoga com essas questões. Foi exatamente a postura que adotei ao ser aprovado em primeiro lugar na seleção de doutorado. Meu tema era muito diferente das questões pesquisadas na linha de pesquisa. Contudo, pude demonstrar como o tema tinha vários pontos de contato com ela. Como fiz isso? Citando autores bastante utilizados pelos professores da banca.

Ter uma estratégia é essencial em todas as etapas do certame

Agir estrategicamente é útil não apenas na elaboração do projeto de dissertação. Também nas demais fases você deve procurar investigar como a banca costuma agir. Converse com alunos já aprovados. Converse com professores do programa de pós-graduação. Leia teses e dissertações defendidas no programa e na sua linha de pesquisa. 

Na entrevista, fase comum da maioria dos processos seletivos, comece mostrando os pontos fortes de seu currículo. Tente, na medida do possível, esconder seus pontos fracos. Nada de se colocar na defensiva, já se defendendo de críticas que ainda não vieram. Se você não tem muitos artigos publicados, procure mostrar que participou de muitos eventos relacionados a sua proposta de pesquisa. Você pode, também, mostrar que sua pesquisa é particularmente beneficiada por sua atuação profissional, caso seu tema tenha a ver com questões tratadas em seu local de trabalho.

Use tudo o que estiver a sua disposição para favorecer suas chances de sucesso. 

Veja também: Como é o processo seletivo do mestrado em direito?

Ao se preparar para a seleção de mestrado, fuja do lugar comum.

Sua pesquisa deve dialogar com a tradição acadêmica. Mas não pode se resumir a ela. Por mais que as bancas examinadoras tenham ojeriza a trabalhos que se repetem constantemente, também é importante mostrar certa reverência à tradição – até para divergir dela. 

Há alguns anos, era muito comum que dissertações de mestrado tratassem de hermenêutica constitucional e do princípio da proporcionalidade. Mais adiante, dezenas de dissertações enfrentaram a questão do aborto do feto de anencéfalo. Mais adiante, várias dissertações passaram a tratar de casamento homoafetivo. 

Nada contra esses temas, mas quando o número de pesquisas sobre esses temas ultrapassaram o ponto de saturação, os membros das bancas estavam sedentos por algo novo. Ultrapassado esse limite, quem tratasse dessas questões era tratado com desdém e já era descartado pela banca. 

Mostre que sua pesquisa é inovadora – mas está dentro de uma tradição

Procure temas instigantes. Mas sua pesquisa precisa dialogar de algum modo com a tradição da teoria jurídica e, em especial, com as teorias mais citadas e investigadas pelos professores da pós-graduação. A cada geração, existem obras que se tornam mais “famosas” e “citadas”. Procure-as e as conheça – ainda que para discordar delas. Mas dialogue efetivamente com elas.

Com um trabalho novo e diálogo efetivo com autores considerados de boa reputação pelos professores do programa de pós-graduação, suas chances de sucesso aumentam bastante! Relacione autores de “ponta” no meio acadêmico com sua pesquisa e tenho certeza de você estará pronto para se preparar para a seleção de mestrado adequadamente!

Hey,

O que você achou do artigo? Conte nos comentários!

Artigos relacionados

Rolar para cima
206 Compart.
Twittar
Pin
Compartilhar206
Compartilhar