Resenha de “Truques da Escrita”, de Howard Becker

Truques da Escrita, de Howard Becker
Truques da Escrita, de Howard Becker

Compartilhe!

Resenha de “Truques da Escrita”, de Howard Becker

O sociólogo norte-americano Howard Becker é conhecido por suas pesquisas no campo do interacionismo simbólico da Escola de Chicago. É autor do livro Truques da Escrita: para começar e terminar teses, livros e artigos.

Se você é um cientista social que precisa de um pouco de orientação quando se trata de escrever, talvez queira conferir a obra, que fornece dicas e conselhos úteis sobre como se comunicar efetivamente por escrito no meio acadêmico.

Becker cobre muito terreno neste livro, desde o básico de gramática e estilo até tópicos mais avançados, como argumentação e uso de evidências. O professor também inclui uma seção sobre como escrever para diferentes públicos, o que é particularmente útil para acadêmicos que geralmente precisam se comunicar com pessoas fora de sua área. No geral, é um guia bastante completo e útil do qual qualquer cientista social pode se beneficiar.

Na obra, o autor analisa a escrita a partir de sua experiência acadêmica e profissional como professor universitário na Northwestern University. Assim, o texto reflete tanto sua experiência como autor de livros e artigos quanto na condição de professor de estudantes que enfrentam o desafio de escrever textos acadêmicos. 

O vocabulário simples e bem humorado é um dos pontos altos do livro,  cuja leitura não deixa de ser uma experiência divertida. Nem por isso, o texto é menos útil a quem deseja encontrar nele uma fonte de inspiração para aprender a escrever melhor e a se tornar um melhor pesquisador. 

“Truques da Escrita” oferece lições importantes para escritores iniciantes

Nos dez capítulos que a estruturam, a obra traz muitas dicas e estratégias para quem já pesquisa ou pretende prosseguir na carreira acadêmica. Portanto, é muito útil para potenciais mestrandos e doutorandos — ou mesmo para quem já tem traquejo e experiência em uma trajetória acadêmica consolidada. 

No primeiro capítulo do livro, Becker apresenta sua experiência nos tempos em que ministrava cursos de revisão e reescrita de textos. A partir das preocupações de seus alunos, que enfrentavam dificuldade em organizar seus pensamentos e o medo de escreverem um texto considerado inaceitável no meio acadêmico, Becker mostra como a própria organização institucional da escrita interfere na forma como os alunos enxergam seus próprios textos. Tudo depende do julgamento de um determinado grupo, que dita as regras sobre o que é “científico” ou dita o que é um estilo de redação apropriado. 

O segundo capítulo tem o mesmo espírito, e se dedica à discussão sobre uma falsa hierarquia imposta pelo meio acadêmico. A escrita difícil costuma passar maior credibilidade aos leitores, ou seja, de forma que textos repletos de passagens complexas e termos teóricos complicados dão uma ideia do que é ser intelectual, diferenciando leigos de especialistas. Becker critica essa concepção, ressaltando que, na realidade, os melhores escritores também são capazes de se comunicar de forma eficaz e de maneira simples, levando os outros a entenderem precisamente sua mensagem.

Nesse sentido, uma dica importante da obra é a recomendação de que os autores escrevam frases curtas e mais simples. Frases complexas e rebuscadas só deixam o texto mais complicado para o leitor, sem ganho algum em termos de compreensão. 

Uma dos principais truques da escrita: não confiar na primeira versão de um texto

Outra recomendação importante do texto é a de que o escritor não pode jamais confiar na primeira versão de um texto. Muitas pessoas creem que bons autores escrevem seu trabalho de primeira, sem fazer nenhuma alteração posterior. Infelizmente, isto não é verdade. A primeira versão de um livro geralmente é repleta de erros de raciocínio, frases incompletas, equívocos  de ortografia e erros gramaticais.

Por isso, o trabalho de revisão de texto é tão importante para a escrita de um texto quanto o primeiro rascunho. E isso vale tanto para assegurar a correção gramatical do texto quanto para assegurar a qualidade das ideias nele presentes. A criatividade não depende de um “estalo” que surgirá de repente em sua mente; às vezes é assim, mas, frequentemente, as grandes ideias surgem justamente no trabalho de revisão.

O texto é repleto de dicas e estratégias relevantes para quem deseja se aventurar no meio acadêmico. Becker recomenda que o estudante assuma riscos, sem se desgastar emocionalmente pelas avaliações de professores e outros estudantes. Muitas vezes, vale a pena expor o seu texto a outros, a fim de colher sugestões de melhoria e observar outros pontos de vista que podem contribuir com sua produção. 

Também há importantes observações quanto ao processo de pesquisa — em especial sobre a utlização de referenciais teóricos. Becker pondera que a escrita nunca parte do zero, na medida em que qualquer texto se pauta, de algum modo, nos seus antecessores. Por isso, é importante encontrar o justo equilíbrio entre as ideias de terceiros e sua própria voz. 

Em suma…

No último capítulo, “Uma palavra final”, o autor pondera que essa obra não resolverá todos os problemas de redação, mas pode indicar algumas maneiras de aprimoramento da escrita ou ajudar a ter mais controle sobre o que se faz. As dicas sobre redigir e as sugestões acerca de como organizar o texto devem ser praticadas e adaptadas à realidade de quem lê o livro.

O livro consegue atingir escritores de diferentes níveis de formação e de experiência, tornando-se uma referência atual e importante para aqueles que buscam a aproximação com os saberes acadêmicos.

Por isso, recomendo fortemente sua leitura!

Faça parte de nossa comunidade Acadêmica!

Cadastre-se e receba dicas e estratégias para seu futuro acadêmico.

Faça parte de nossa comunidade Acadêmica!

Cadastre-se e receba dicas e estratégias para seu futuro acadêmico.

Mais estratégias para seu futuro acadêmico...

Rolar para cima